Análise de Moeda

Stellar

Escrito por
Lorenzo Frazzon
em
6
de
Jan
de
2019

Stellar Lumens

Stellar é um protocolo descentralizado e open-source que conecta bancos, serviços monetários e pessoas para movimentar valores em escala global, de forma rápida, segura e quase sem custo.

Stellar Lumens (XLM) é a criptomoeda utilizada para pagar as transações e trocas realizadas na plataforma Stellar. Uma vez que você possua Lumens, é possível enviar moedas fiat para qualquer parte do mundo para outros usuários da plataforma.

O projeto nasceu de um aporte milionario da Stripe, uma grande empresa americana no setor de pagamentos e hoje é desenvolvido e suportado pela Stellar Development Foundation(SDF).

Equipe

O projeto conta com uma equipe com diversas expertises e com muita experiência liderado por Jed McCaleb (CEO), um dos maiores experts em blockchain e sistemas descentralizados do mundo e que possui um ótimo histórico como criador de alguns projetos de sucesso, como eDonkey, Mt. Gox e Ripple.

Seu CTO, Nicolas Barry, mestre em Ciência da Computação e Matemática pela ENSEEIHT em Toulouse na França. Ajudou na construção de grandes projetos escaláveis na Microsoft e Salesforce.

O time conta com outros nomes com vasta experiência que já fizeram parte de times em grandes companhias como Facebook, Yahoo, Deloitte, Banco de desenvolvimento da China, além de pesquisadores premiados em universidades como Harvard e MIT.

Além disso, existe um board de advisors de peso por trás do projeto oriundos de empresas de sucesso como Stripe, Wordpress, Y Combinator, Khosla Ventures, AngelList, conta inclusive com um brasileiro, Ronaldo Lemos que é diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro(ITSrio).

Demanda (popularidade)

A adesão de grandes projetos à rede do Stellar cresceu bastante durante o ano de 2017 e 2018 já começa com uma ótima perspectiva positiva para a rede, vejamos alguns casos.

Em novembro de 2017, a plataforma de micropagamentos SatoshiPay anunciou que iria utilizar o Stellar, e agora em abril de 2018 foi realizado o giveaway de Stellar Lumens(XLM) para os usuários do SatoshiPay com objetivo de promover o uso de ambas as plataformas. Em um primeiro momento foram distribuídos 50 milhões de Lumens.

Em dezembro de 2017 o aplicativo KIK, um mensageiro para android e iOS com mais de 15 milhões de usuários, anunciou que deixaria de usar a plataforma Ethereum e passaria a usar o Stellar para gerenciar seu token, chamado de KIN. Segundo o CEO Ted Livingston, essa mudança seria necessária devido a falta de escalabilidade da rede Ethereum.

Uma outra grande parceria (senão a principal), foi o acordo com a IBM. Grandes bancos, instituições financeiras e até mesmo bancos centrais têm demonstrado interesse em utilizar soluções baseadas em Blockchain, e a IBM é bastante conhecida por prestar serviços desse tipo para essas instituições. Juntos, a proposta é utilizar o poder da Blockchain privada da IBM, a Hyperledger e a flexibilidade da Blockchain pública do Stellar.

Além dessas grandes parcerias, a rede apresentou um ótimo crescimento em 2017, ao todo, foram fechadas 37 parcerias pela SDF. No gráfico abaixo é possível visualizar a evolução da rede.

Stellar, a mãe de todas as criptomoedas

E o ano começou com tudo, em Janeiro(2018) foi realizada a primeira ICO utilizando o Stellar. A Mobius Network captou US$ 35 milhões na distribuição de aproximadamente 7.5 milhões de MOBI (o token da Mobius), foi a maior pre-sale de 2018 até o momento. Segundo a equipe do Mobius, optou-se por utilizar o Stellar ao Ethereum devido a velocidade e escalabilidade da rede, que realmente foi colocada a prova, visto que a pre-sale teve aproximadamente 32 mil participantes.

Oferta

Foram criados 100 bilhões de Stellar Lumens no bloco gênesis da rede, como descrito em seu protocolo. A SDF ficou com 5% da oferta para cobrir suas despesas e os outros 95 bilhões de tokens serão distribuídos aos usuários em 3 programas.

- Direct Sign-up Program: 50% serão distribuídos de forma gratuita para comunidade com o objetivo de fomentar o uso da tecnologia.

- Partnership Program: 25% serão distribuídos para parceiros institucionais que poderão ser empresas, governos ou organizações - como foi o caso dos Lumens distribuídos no SatoshiPay.

- Bitcoin Program: 20% foram distribuídos entre os detentores de Bitcoin(19%) e Ripple(1%) com o objetivo de disseminar o seu uso. Os Lumens que não foram sacados pelos detentores de Bitcoin foram destinados ao programa de parcerias(Partnership Program).

Dos 5% restantes, 2 bilhões de Lumens foram usados para reembolsar o aporte de US$ 3 milhões feito pela Stripe e o restante será leiloado periodicamente em exchanges para angariar fundos para a SDF.

Foi uma distribuição muito bem pensada e executada e isso influencia positivamente o desenvolvimento do ecossistema do Stellar.

Plataforma

A plataforma do Stellar é reconhecida por sua qualidade e evolução constante. Um dos objetivos do projeto é aperfeiçoar e fortalecer sua própria exchange descentralizada, esse objetivo está muito ligado com os planos de aumentar o número de ICOs na plataforma.

No roadmap do projeto está também o plano de implementar a Lightning Network, apesar de afirmarem que não há essa necessidade. Essa implementação já está sendo desenvolvida em conjunto com Jeremy Rubin desenvolvedor no Bitcoin Core. A intenção é estar disponível na rede no início de dezembro de 2018.

Outro objetivo é melhorar a descentralização e saúde da rede, para isso querem tornar mais simples o processo de rodar um full validator.

Estamos monitorando o progresso desses objetivos, que acreditamos serem muito bons para a evolução sustentável do projeto.

Pronto para comprar criptomoedas?
Comece agora com R$ 100

Seu cadastro foi realizado com sucesso! Fique ligado nos nossos e-mails 📩
Oops! Alguma coisa deu errado na hora de enviar seu cadastro 😢.