Quer receber conteúdos de alto impacto?

Faça como dezenas de investidores, deixe seu email e receba nossos conteúdos diretamente no seu email.

Seu cadastro na newsletter foi realizado com sucesso! Fique ligado nos nossos e-mails 📩
Ops! Algo deu errado ao enviar o formulário.

O que é mineração de bitcoin?

Criptomoedas

Escrito por

Pedro Camara

em

24

de

Oct

de

2019

MEIO
O que é mineração de bitcoin?

Em muito pouco tempo, o Bitcoin se tornou a principal moeda digital que se popularizou ao redor do mundo. Algumas razões que explicam a sua ascensão além, é claro, de sua enorme valorização de mercado, vem do fato de ele ser uma criptomoeda de fácil e rápida negociação, também permitindo a máxima a segurança e anonimato nas transações dos usuários que o seu sistema Blockchain pode oferecer. Assim como o próprio bitcoin, outro termo que ficou mundialmente conhecido foi: “mineração de Bitcoin”.

Mas afinal, o que é a mineração de bitcoin?

A mineração de bitcoin nada mais é nada mais é que “emprestar” o poder de processamento do seu computador para realizar uma série de cálculos super complexos através de um software específico, para que ele faça as checagens de hash e dos dados criptografados que irão atestar se a nova transação adicionada a blockchain é legítima ou não. Tudo isso em prol de receber uma recompensa, que neste caso é uma parcela do criptoativo.

Ou seja, os mineradores são pessoas ou grupos de pessoas (conhecidos, neste caso, como “pool de mineração”), espalhadas por todas as partes do mundo, que fazem uso de máquinas com fortes processadores para validar as transações na rede do bitcoin, garantindo a sua segurança e legitimidade.    

As maiores pools de mineração

Pools são grupos de mineradores que unem o poder de processamento de suas máquinas mineradoras com o objetivo de decifrar o hash antes de outros mineradores, isso porque, a recompensa é paga para o primeiro minerador ou grupo que o fizer.

Aproximadamente 22% dos mineradores de Bitcoin são desconhecidos, enquanto que a maior pool de mineração é a BTC.com que detém 17,7% do mercado, seguido pela F2Pool com 13,8%, pela Poolin com 13,3% e a AntPool com 10,2%. O restante é distribuído em várias outras pools menores.

Nota-se então, que as quatro maiores pools de mineração do mundo detém juntas cerca de 55% de todo o mercado da mineração de bitcoin. É interessante citar que já há diversos estudos e ações em funcionamento, visto que, uma empresa possuir uma grande fatia do mercado fere um dos conceitos centrais do bitcoin, que é justamente a descentralização.

Como funciona o processo de mineração de bitcoin?

Para minerar, são necessários computadores com alta capacidade de processamento, pois conforme o tempo passa, os cálculos para a mineração de bitcoin (validação das transações na blockchain) ficam mais complexos, o que gera uma demanda de processamento cada vez maior.

O minerador ou grupo de mineradores que conseguir decifrar primeiro o segredo do hash, serão recompensados com 12,5 bitcoins por bloco minerado. A cada dez minutos é gerado um novo bloco de transações na blockchain.

Como a necessidade de processamento é cada vez maior, milhares de mineradores unem poder de processamento para serem os primeiros a decifrar o código, afinal, quanto maior a capacidade de processamento, menor o tempo para encontrar o hash.

Os mineradores recompensados, informam para toda a rede a existência de um novo bloco válido com várias transações realizadas pelos usuários da rede.

Equipamento necessário para minerar

Para minerar Bitcoin em 2019 é necessário comprar uma mineradora e conectá-la à energia elétrica. Até 2013 era possível minerar bitcoins em computadores convencionais, porém, devido ao aumento significativo do nível de processamento requerido, isso se tornou impossível.

Para isso, existem mineradoras exclusivamente feitas para minerar Bitcoin, como, por exemplo, a Antminer, uma máquina mineradora produzida pela empresa chinesa Bitmain, que é uma das maiores empresas de mineração do mundo.

Além do custo da própria mineradora e da energia elétrica, quem se interessar em entrar no ramo da mineração terá que investir na refrigeração do ambiente para manter as mineradores refrigeradas. Por serem máquinas com alto poder de processamento e uso intenso, tendem a superaquecer com o uso contínuo. Não podemos esquecer ainda as taxas pagas ao pool de mineração e a manutenção preventiva das máquinas.

Halving

Um destaque importante que deve ser levado em consideração além dos custos com a mineração de bitcoin é o "halving". O halving é uma regra que faz parte do código do Bitcoin. A cada 10 mil blocos ou aproximadamente 4 anos, a recompensa paga aos mineradores é cortada pela metade. Hoje ela está em 12,5 bitcoins, porém, em 2020 passará a ser 6,25 BTC’s, em 2024 cairá para 3,125 BTC’s, e assim sucessivamente.

Devido ao halving, o futuro de muitas mineradoras não é dos mais otimistas, segundo alguns analistas de criptomoedas. Como a recompensa por bloco minerado cairá pela metade no próximo ano, e os custos de mineração e gastos com energia elétrica estão cada vez mais elevados devido a crescente necessidade por maior poder de processamento, as despesas das mineradores poderão superar as receitas, fazendo com que muitas prefiram deixar o mercado.

Para que serve o Halving?

Esse processo é um dos mais importantes para o Bitcoin, e funciona como um controlador de inflação para a criptomoeda. Como parte do sistema do Bitcoin a quantidade de Bitcoins que pode ser minerada é limitada a 21 milhões (vale citar de primeira mão que no dia 18 de outubro de 2019 18 milhões de moedas já haviam sido mineradas, restando apenas 3 milhões até 2040). Sendo assim, o halving foi a maneira encontrada para dificultar o acesso a novas unidades no decorrer do tempo.

Esse processo resulta em uma escassez, um importante atributo para uma moeda de troca. Algo parecido é visto no ouro, uma das principais moedas de troca já utilizadas pela humanidade no decorrer de toda a história. 

Além de tudo, isso garante que não serão criados novos Bitcoins sem motivo, como acontece hoje com o Dólar ou Real por exemplo. Desta forma, a inflação é controlada e preserva o poder de compra de quem usa a criptomoeda.

Nível de complexidade da mineração de bitcoin

O que torna difícil a mineração de bitcoin conforme o tempo vai passando, é a crescente complexidade dos cálculos matemáticos para minerar cada bloco, o que gera uma demanda por processadores cada vez mais potentes e um aumento dos custos de energia das mineradoras.

Porém, o que num primeiro momento parece ser algo ruim, ao mesmo tempo é excelente para a rede do Bitcoin, pois conforme a complexidade em decifrar os códigos aumenta, e como cada hash é baseado no hash do bloco anterior (formando uma cadeia), há um aumento proporcional da capacidade dos usuários identificarem alguma fraude na blockchain, garantindo um sistema cada vez mais seguro e livre de falhas.

Mas afinal, vale a pena minerar bitcoin ?

Como você já deve ter observado neste artigo, o processo de mineração é algo extremamente complexo e exige um grande aporte financeiro para sustentar toda a operação. Por mais que seja um processo necessário para controlar a demanda e gerar oferta da moeda, já existem empresas extremamente especializadas, algumas delas até já produzem supercomputadores específicos para esse fim (minerar criptoativos) com os quais um usuário comum, mesmo que um com ótimo computador em casa, concorrer com algo assim seria praticamente inviável.

Neste caso, adquirir bitcoins por meio de uma plataforma segura como a Investtor é a melhor opção. Nós não só facilitamos o processo de compra e venda, como também oferecemos um atendimento que fornece suporte para realizar as transações com o mínimo de risco.

Pedro Camara

CTO, Desenvolvedor Full-stack