Quer receber conteúdos de alto impacto?

Faça como dezenas de investidores, deixe seu email e receba nossos conteúdos diretamente no seu email.

Seu cadastro na newsletter foi realizado com sucesso! Fique ligado nos nossos e-mails 📩
Ops! Algo deu errado ao enviar o formulário.

O que é e como funciona a custódia de criptomoedas

Criptomoedas

Escrito por

Pedro Camara

em

4

de

Nov

de

2019

FUNDO
O que é e como funciona a custódia de criptomoedas

Todo tipo de investidor que recentemente se deparou com o universo das criptomoedas deve ter vislumbrado uma ótima oportunidade para diversificar e aumentar seus rendimentos. Entretanto, um de seus maiores medos está relacionado à segurança na hora de guardar suas criptomoedas, visto que são ativos totalmente digitais. Neste sentido falaremos sobre o que é e como funciona a custódia de criptomoedas.

Entendendo o que é custódia

Primeiramente, é importante entender o que a palavra “custódia” em si significa: o ato de guardar algo ou alguém, sendo um termo muito utilizado pelo mercado financeiro como o ato de manter um ativo em segurança.

Quem faz a custódia de criptomoedas cuida, portanto, de guardar esses ativos, conservando com segurança as credenciais da(s) carteira(s) utilizada(s). Esse processo pode ser feito por conta do próprio investidor, mas envolve certos riscos.

É necessário entender que ao adquirir uma carteira (ou wallet) é criada uma chave privada, a grosso modo uma senha pela qual é possível resgatar suas criptomoedas em qualquer momento. 

E o que acontece se você perder a chave privada de sua wallet que contém alguns bitcoins? 

A resposta é: essa quantia está perdida para sempre e é exatamente por este motivo que o mais seguro é comprar criptomoedas custodiadas por uma plataforma confiável e segura.

Como funciona a custódia de criptomoedas

Tudo começa quando é executada a compra de uma criptomoeda, normalmente através de uma exchange — uma plataforma de corretagem que existe para fazer essa intermediação. 

Após a negociação ser aceita por ambos, vendedor e comprador autorizam o acordo e a transferência é realizada.

Feita a compra pela exchange é recomendado enviar as criptomoedas a uma carteira específica para elas e, no caso da compra P2P (peer-to-peer), a transferência já será realizada diretamente para uma.

As carteiras (ou wallets) de criptomoedas podem ser classificadas em:

  • Hot wallets: carteiras de criptomoedas conectadas à internet, ideais para transações no dia-a-dia;
  • Cold wallets: carteira não conectada com a internet, ideal para transações de médio e longo prazo.

Elas podem ser usadas de diversas formas e estão disponíveis para celular, computador e hardware wallet (equipamento semelhante a um pendrive).

Todas têm benefícios e limitações, de forma que, quanto mais seguro o armazenamento, maior é a dificuldade de transferi-las com facilidade no dia a dia; por outro lado, quanto mais conectada à internet, maiores são os riscos de quebra na segurança.


Vamos tornar isso mais fácil?

Aqui na Investtor trabalhamos para tornar esse processo mais rápido e amigável: criamos estratégias com diferentes composições de criptoativos para os mais diferentes perfis de investimento. 

Custodiamos suas criptomoedas, garantindo a segurança dos seus ativos ao deixá-los em diferentes carteiras (hot e cold wallets), sendo que nem mesmo nossa CEO pode retirá-las arbitrariamente. Isso garante a confiança em nosso serviço e facilita o processo para novos usuários, uma vez que nosso propósito é democratizar o acesso a esse tipo de investimento, sem que seja necessário conhecimento técnico avançado ou grandes quantias iniciais.

A Investtor possui sistema de segurança próprio para que a custódia de criptomoedas seja bem protegida.

Para começar a investir, basta criar uma conta gratuitamente em nossa plataforma, escolher a estratégia que mais se adequa ao seu perfil e realizar fazer um depósito por TED ou DOC. Bem prático, intuitivo e você não precisa correr riscos desnecessário.

Pedro Camara

CTO, Desenvolvedor Full-stack