Quer receber conteúdos de alto impacto?

Faça como dezenas de investidores, deixe seu email e receba nossos conteúdos diretamente no seu email.

Seu cadastro na newsletter foi realizado com sucesso! Fique ligado nos nossos e-mails 📩
Ops! Algo deu errado ao enviar o formulário.

Conheça o Libra: a criptomoeda do Facebook

Criptomoedas

Escrito por

Lorenzo Frazzon

em

29

de

Jul

de

2019

TOPO

Como funciona o Libra

O anúncio do projeto Libra feito pela equipe do Facebook liderada por David Marcus, sem dúvida foi o momento mais importante para o mundo das criptomoedas desde o surgimento do Bitcoin. Na verdade, o surgimento do Libra atestou a revolução que as criptomoedas são para o mundo, basta ver a grande reação dos governos ao redor do mundo.

Segundo anunciado pelo Facebook, o mundo precisa de uma moeda digital confiável e uma infraestrutura financeira que juntos possam materializar a promessa/sonho de termos uma "Internet do dinheiro" e ainda prover inclusão financeira para mais de 1,7 bilhões de pessoas que não têm acesso ao sistema financeiro tradicional. E quando possuem acesso, arcam com enormes custos de transação. Por exemplo, estima-se que mais US$ 25 bilhões são gastos em taxas, pelos imigrantes/refugiados quando enviam dinheiro a seus entes nos países de origem.

De fato este parece ser o momento certo para surgir uma moeda digital construída sobre a base da tecnologia blockchain, que já se mostrou um sucesso, como é o caso do Bitcoin. Para alcançar o seu objetivo, o Libra é composto de três pilares que irão trabalhar juntos para transformar o sistema financeiro:

  • Sua governança se dá pela Associação Libra que é independente e encarregada de desenvolver todo o ecossistema;
  • É lastreado por uma reserva de ativos “reais” destinada a fornecer um valor intrínseco;
  • Será construído em uma blockchain segura, escalável e confiável.

A seguir, vamos falar sobre cada um desses pilares do projeto Libra de forma mais detalhada e no final vamos responder sobre as principais dúvidas que temos recebido aqui na Investtor sobre o projeto Libra.

A Associação Libra

O principal objetivo da associação é coordenar e fornecer uma estrutura de governança para a rede e para gestão das reservas, além de liderar a concessão e construção das atividades de impacto social em apoio à inclusão financeira. Os membros da associação são também os nós validadores que operam a Blockchain Libra.

Os membros da Associação Libra serão formados por empresas geograficamente distribuídas e diversificadas, organizações sem fins lucrativos e instituições acadêmicas. O grupo inicial de organizações que vão trabalhar juntas na finalização do estatuto e vão se tornar "Membros Fundadores" após a sua conclusão são os seguintes:

  • Pagamentos: Mastercard, PayPal, PayU, Stripe, Visa
  • Tecnologia e Marketplaces: Booking Holdings, eBay, Facebook/Calibra, Farfetch, Lyft, MercadoPago, Spotify AB, Uber Technologies, Inc.
  • Telecomunicações: Iliad, Vodafone Group
  • Blockchain: Anchorage, Bison Trails, Coinbase, Inc., Xapo Holdings Limited
  • Venture Capital: Andreessen Horowitz, Breakthrough Initiatives, Ribbit Capital, Thrive Capital, Union Square Ventures
  • ONGs, Organizações multilaterais e acadêmicas: Creative Destruction Lab, Kiva, Mercy Corps, Women’s World Banking

A Associação Libra | Facebook


O projeto Libra quer alcançar cem membros até lançar a moeda em 2020 e processo de redução da participação do Facebook no projeto já está planejado.

A equipe do Facebook teve um papel fundamental na criação da Associação Libra e da Blockchain Libra, trabalhando em conjunto com outros membros fundadores. Apesar da tomada de decisões ser competência da associação, até o fim de 2019 espera-se o Facebook ainda terá um papel de liderança no projeto.  

Para segregar as atividades e explorar o Libra comercialmente no futuro, o Facebook criou a Calibra, uma subsidiária regulada nos EUA, para garantir a separação entre dados sociais e financeiros dos usuários, e assim poder desenvolver serviços em seu nome utilizando a rede do Libra.

A carteira Calibra para a criptomoeda Libra | Facebook

Assim que a rede Libra entrar em operação, o Facebook e suas controladas (Instagram e Whatsapp) terão os mesmos compromissos, privilégios e obrigações financeiras que qualquer outro Membro Fundador. Como um membro entre muitos, o papel do Facebook na governança da associação será igual ao de seus pares, fortalecendo assim a descentralização e decisões democráticas.

As Reservas do Libra

O Libra foi criado para ser aceito em muitos lugares e ser de fácil acesso para quem quiser usar a moeda. Por isso, as pessoas precisam ter confiança de que podem usar o Libra e que seu valor vai se manter estável ao longo do tempo. Ao contrário da maioria das criptomoedas, o Libra tem uma reserva de ativos reais, como outras moedas e títulos públicos de curto prazo. Para cada Libra que for criado vai existir um “pacote” desses ativos, isso vai gerar confiança em seu valor. Essa reserva vai ser gerida pela Associação Libra com o objetivo de preservar o valor do Libra ao longo do tempo.

O conceito de moeda com lastro como o Libra é semelhante às moedas do passado: onde as moedas dos países para ser confiáveis e serem usadas poderiam ser convertidas em ativos reais, como o Ouro. Em vez de lastrear o Libra em Ouro como era o dólar até Richard Nixon acabar com a conversibilidade, o Libra será suportado por uma cesta de ativos de baixa volatilidade, como títulos governamentais e depósitos bancários de curto prazo de bancos tradicionais ​​e com boa reputação.

Os ativos por trás do Libra são a principal diferença entre ele,as moedas e criptomoedas existentes que não têm esse valor intrínseco. Ainda assim o Libra é uma criptomoeda e, em função disso, incorpora várias propriedades atraentes dessas novas moedas digitais: a capacidade de enviar dinheiro rapidamente, a segurança da criptografia e a liberdade de transmitir recursos facilmente globalmente.

Os juros sobre os ativos de reserva serão usados ​​para cobrir os custos do sistema, garantir baixas taxas de transação, pagar dividendos aos investidores que forneceram capital para alavancar o ecossistema dos associados e apoiar o crescimento e adoção. As regras para alocação de juros sobre a reserva serão estabelecidas com antecedência e serão supervisionadas pela Associação Libra.

É preciso ficar claro que os usuários do Libra não vão receber receber nenhuma forma de juros sobre a reserva.

O Blockchain do Libra

Os blockchains são descritos como permissionados ou não-permissionados, em relação à capacidade de participar como um nó validador. Em um “blockchain permissionado”, o acesso é concedido para executar um nó validador. Em um "blockchain não-permissionado", qualquer pessoa que atenda aos requisitos técnicos pode executar um nó validador. Nesse sentido, Libra começará como um blockchain de permissionado.

Uma vantagem sobre outros projetos de blockchain de corporações se dá pelo fato do Libra ser uma blockchain pública, enquanto a blockchain do projeto Quorum do banco JP Morgan é privado, por exemplo.

O fato de ser público, torna o Libra Blockchain aberto a todos: qualquer consumidor, desenvolvedor ou empresa pode usar a rede Libra, desenvolver soluções sobre ela e agregar valor através de seus serviços. Isso acaba com as barreiras de entrada e incentiva a inovação e uma concorrência saudável que sempre tende a beneficiar os consumidores. Isso é fundamental para o objetivo de construir opções financeiras mais inclusivas para o mundo.


O que a Investtor pensa sobre o Libra?

Não temos dúvida da relevância desse projeto e como ele pode mudar muita coisa no mundo atual. Uma empresa com mais de 2 bilhões de usuários no mundo criar algo nesse sentido está batendo de frente com governos e bancos centrais. 

O Bitcoin que é um projeto pequeno, com 40 milhões de usuários (carteiras), já tem sido muito atacado e ainda assim crescer de forma orgânica e descentralizada. Falando nisso muitas pessoas nos perguntam sobre se o Libra irá fazer cair o preço do Bitcoin. Nossa opinião é de que o Libra na verdade pode ser um grande propulsor do Bitcoin. Uma vez que será uma quasi-stablecoin de aceitação global.

Outro ponto é que o Libra vai educar as pessoas sobre criptomoedas de forma natural, assim a adoção de outras criptomoedas também pode ocorrer. A verdadeira revolução sempre se dá pela educação.

Para finalizar fica a grande questão: O Libra vai ser aceito e utilizado no Brasil?

Como já foi visto em todo mundo, os governos estão na verdade com muito medo do projeto. No Brasil não vai ser diferente e não há qualquer previsão de como o Libra será tratado. Porém, com certeza muitas restrições serão impostas, ainda mais com o lobby dos poucos e grandes bancos brasileiros.

A verdade é que estamos vendo o nascimento da era das moedas privadas, um cenário onde os bancos centrais emitem moeda sem parar e temos juros negativos em muitas países. Será que não estamos prestes a presenciar uma ruptura na teoria econômica?

Lorenzo Frazzon

CSO, Economista